Otelo Saraiva de Carvalho

Fonte: SAPO Saber, a enciclopédia portuguesa livre.

Otelo Saraiva de Carvalho.
Otelo Saraiva de Carvalho.

Otelo Nuno Romão Saraiva de Carvalho (Lourenço Marques, 31 de Agosto de 1936) é um militar português, estratega do 25 de Abril.


Índice

[editar] Carreira

Foi capitão em Angola de 1961 a 1963 e também na Guiné entre 1970 e 1973, sendo um dos principais dinamizadores do movimento de contestação ao Decreto Lei nº 353/73, que deu origem ao Movimento dos Capitães e ao MFA.

[editar] Papel no 25 de Abril

Era o responsável pelo sector operacional da Comissão Coordenadora do MFA e foi ele quem dirigiu as operações do 25 de Abril, a partir do posto de comando clandestino instalado no Quartel da Pontinha.

Graduado em brigadeiro, foi nomeado Comandante-adjunto do COPCON e Comandante da região militar de Lisboa a 13 de Julho de 1974, tendo passado a ser Comandante do COPCON a 23 de Junho de 1975 (cargo que na prática já exercia desde Setembro de 1974). Foi afastado destes cargos após os acontecimentos de 25 de Novembro de 1975.

Fez parte do Conselho da Revolução desde que este foi criado, a 14 de Março de 1975, até Dezembro de 1975. A partir de 30 de Julho do mesmo ano integra, com Costa Gomes e Vasco Gonçalves, o Directório, estrutura política de cúpula durante o V Governos Provisório na qual os restantes membros do Conselho da Revolução delegaram temporariamente os seus poderes (mas sem abandonarem o exercício das suas funções).

Conotado com a ala mais radical do MFA, viria a ser preso em consequência dos acontecimentos do 25 de Novembro. Solto três meses mais tarde, foi candidato às eleições presidenciais de 1976. Volta a concorrer às eleições presidenciais de 1980.

[editar] Nas FP-25

Na década de 1980 passou a liderar a organização terrorista FP-25[1].

Em 1985, tendo sido julgado e condenado em tribunal, foi preso pelo seu papel na liderança das FP-25 de Abril, responsáveis pelo assassinato de 17 pessoas nos anos 80. [1]

Foi libertado cinco anos mais tarde, após ter apresentado recurso da sentença condenatória, ficando a aguardar julgamento em liberdade provisória.

Em 1996 a Assembleia da República aprovou o indulto, seguido de uma amnistia para os presos do Caso FP-25.

[editar] Promoção a tenente-coronel

A 23 de Abril de 2009, Otelo Saraiva de Carvalho foi promovido a tenente-coronel, ao abrigo da lei que estipula a reconstituição de carreiras de militares prejudicados pelo 25 de Abril[2].

[editar] Resultados eleitorais

[editar] Eleições presidenciais de 27 de Junho de 1976

Candidato votos %
Ramalho Eanes 2.967.137
62%
Otelo Saraiva de Carvalho 792.760
16%
Pinheiro de Azevedo 692.147
14%
Octávio Pato 365.586
8%
1

[editar] Eleições presidenciais de 7 de Dezembro de 1980

Candidato votos %
Ramalho Eanes 3.262.520
56%
Otelo Saraiva de Carvalho 85 896
1%
Soares Carneiro 2.325.481
40%
Galvão de Melo 48.468
1%
Pires Veloso 45.132
1%
Aires Rodrigues 12.745
0%

[editar] Vídeos

35 anos da Revolução de Abril

Em 1974, três objectivos guiaram a revolução: Democratizar, Descolonizar e Desenvolver. Otelo Saraiva de Carvalho faz o balanço dos três D's 35 anos depois da Revolução de 25 de Abril.



[editar] Referências

Ferramentas pessoais
Outras línguas